A segurança no e-commerce transformou-se em uma das grandes preocupações para os varejistas virtuais. Isso porque as pessoas estão muito mais vigilantes quanto aos riscos da comercialização pela internet.

Realmente, apesar de o número de consumidores online aumentar a cada dia, formando um cenário muito mais propício para as lojas digitais, a segurança ainda preocupa. Ou seja, é necessário garantir aos compradores que eles não estão se arriscando ao informarem dados pessoais em seu comércio eletrônico.

Enquanto existir hackers mal-intencionados tentando coletar informações por meio de fraudes, a procura pela proteção continuará. Afinal, ninguém deseja ser trapaceado na internet.

Por conta dessa realidade, neste post, mostraremos algumas recomendações para que você consiga disparar à frente da concorrência e ser notado pelo seu público como a opção mais confiável do mercado. Confira!

Invista em uma hospedagem dedicada

Um grande inconveniente da hospedagem compartilhada é que, se algum site da rede for contaminado por um vírus malicioso, seu e-commerce também poderá ser afetado.

Em contrapartida, quando um servidor é exclusivamente dedicado ao seu comércio eletrônico — sem qualquer compartilhamento —, você garante mais segurança e evita que a sua página fique fora do ar.

Crie usuários administrativos com permissões restritas

Em muitas plataformas, existe a possibilidade de criar usuários administrativos com permissões distintas. Um para gerenciar as atividades diárias da loja, outro para cadastrar produtos, etc. Essa é a forma mais prudente de manter a segurança no e-commerce.

Se, em seu varejo virtual, for possível, utilize usuários diferentes para executar as demais obrigações administrativas, como atualizar dados, responder a chamados e alterar o layout.

O segredo é restringir cada um segundo as suas obrigações para evitar qualquer fuga ou desencontro de informações. Além disso, para despistar invasores, logue como usuário master apenas quando surgir a real necessidade.

Adquira selos de segurança

Mostre para a sua clientela que você está engajado com a segurança dela. Várias organizações monitoram vírus e invasões na web e fornecem selos de segurança avançados.

Se você fizer esse investimento, ao acessar sua plataforma de vendas, o usuário verá que uma marca conhecida a monitora. Isso o tranquiliza e eleva a probabilidade de compra no seu site.

Os locais ideais para exibir os selos de segurança são:

  • no rodapé da página;
  • próximo ao botão “comprar”;
  • na seção de contatos.

Assim, você mostra ao seu público que todos os dados sensíveis/vulneráveis estão amparados por uma empresa credível.

Tenha certificação SSL

Como os usuários terão que inserir informações pessoais para comprar em seu e-commerce, é preciso garantir que elas não sejam roubadas. Para impedir esse tipo de ação, há os certificados SSL, que criptografam os dados que são cadastrados no site, tornando-os indecifráveis para invasores.

As lojas integradas com SSL são marcadas nos navegadores de busca com um cadeado verde ao lado da URL mais o termo “seguro”. Além disso, a ausência desse comprovativo compromete o ranqueamento da sua loja no Google, uma vez que o buscador dá preferência para páginas que tenham certificados válidos, por considerar isso mais seguro para os internautas.

Utilize a blindagem para elevar a segurança no e-commerce

Ter uma loja virtual blindada faz com que ela consiga combater suas próprias vulnerabilidades, reduzindo a incidência de invasões. Assim, você impede que seu e-commerce seja tirado do ar.

Ao blindar seu site, você implementa ferramentas que são capazes de revelar brechas por onde hackers podem entrar. Isso é feito por uma espécie de scanner perito em detectar invasores. Ele faz varreduras frequentes na loja virtual, tornando mais fácil atuar antes mesmo que você sofra qualquer espécie de ataque.

Um dos grandes destaques desse escaneamento é poder ser alertado a tempo, o que permite reagir conforme as recomendações indicadas dentro da página, diminuindo as chances de violação.

Ao contrário da exigência do SSL, nenhum comércio eletrônico é obrigado a ser blindado. Porém, quanto mais você puder evidenciar a segurança da sua plataforma para o público, mais ele se sentirá à vontade para comprar.

Quando for procurar um serviço de blindagem, contrate uma instituição conhecida e com experiência comprovada. Lembre-se de que a taxa cobrada por esse tipo de vantagem é mensurada conforme a audiência (volume de visitas) em seu website.

Monitore cancelamentos

Ao acompanhar o número de cancelamentos, você consegue notar se fraudadores estão tentando encontrar falhas de segurança no seu e-commerce. Tenha um profissional responsável por isso, que, a cada 15 ou 30 dias, reúna os dados de cancelamentos feitos.

Outra avaliação que deve ser realizada regularmente é a varredura de compras por cartões de crédito não aprovados e boletos bancários que não foram pagos. Dessa forma, você fica atento caso os cancelamentos cresçam muito.

Ao contatar os bancos sobre as desistências provenientes de boletos, tente identificar um padrão: se são sempre das mesmas pessoas ou localidades específicas. Assim, você evita fraudes dessa natureza.

Escolha uma plataforma de e-commerce segura e eficiente

Selecione uma plataforma de e-commerce confiável, pois é ela que coletará todos dados das transações. Portanto, opte por uma solução madura, popular e respeitada pelos clientes e empreendedores.

Na hora da escolha, exija os seguintes diferenciais.

  • configuração de design (layout): liberdade para elaborar banners e definir cores e fontes;
  • integração de dados e processos: com apoio do Google Analytics para analisar vendas, contabilizar os itens mais procurados, acompanhar visitantes, etc., e do Bling ou Tiny para automatizar a emissão de NF-e e centralizar o controle financeiro;
  • marketing: ferramentas de recuperação de carrinho (e-mails que incentivam o consumidor a finalizar o pedido), chat online e On exit Pop-up (cupons de desconto ou benefícios que surgem na tela antes de o usuário fechá-la);
  • sistemas e formas de entrega: correios, transportadoras, frete grátis, frete personalizado, motoboy, entre outros;
  • modalidades de pagamento: MOIP, BCash, Mercado Pago, Pag Seguro, Paypal, depósito bancário, boleto bancário, etc.

Todos esses fatores agregam valor à sua loja, o que ajuda a transparecer mais credibilidade, aumentando as chances de venda.

Esperamos que as recomendações para manter a segurança no e-commerce tenham sido úteis para você. Agora, basta fazer um estudo minucioso para escolher quais são os recursos mais viáveis para o seu empreendimento.

Gostou deste conteúdo? Aproveite esta oportunidade e entre contato conosco. Nós, da Symplo7, temos um portfólio variado de soluções para o seu futuro e-commerce. Venha conhecer!