Muitos empreendedores do mundo digital veem o comércio eletrônico como uma grande oportunidade de ter o seu próprio negócio. No entanto, ao gerenciar uma loja virtual é necessário ter certo nível de conhecimento sobre as tributações comuns que um e-commerce pode ter.

Os impostos ainda geram dúvidas a empreendedores digitais. Muitos desconhecem a necessidade de estar em dia com as obrigações fiscais e podem ficar em débito com os tributos sem querer. Isso pode acarretar uma série de problemas que comprometem o futuro de uma loja on-line.

Neste artigo apresentamos 6 impostos para e-commerce que você precisa conhecer. Confira quais são eles a seguir!

1. ICMS

Um dos impostos mais comuns, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) é cobrado de modo diferente de acordo com o estado. Incide sobre a movimentação de produtos alimentícios, cosméticos dentre outros, exceto para operações com jornais, livros e exportações.

Para comercializar as mercadorias das áreas tributadas, é preciso inscrever-se no Cadastro de Contribuintes do ICMS. O ICMS exige a emissão de nota fiscal a cada circulação. O ICMS é o principal imposto incidente em operações de e-commerce que envolvam a venda de produtos nas lojas virtuais.

2. ST

A Substituição Tributária (ST) é uma forma de tributação em que a responsabilidade pelo ICMS é dada a um contribuinte distinto daquele que vendeu o produto. Assim, o estado cobra o imposto da mercadoria no momento em que ela sai da indústria, atribuindo a uma terceira pessoa o cumprimento da obrigação tributária.

3. DAS

Ao ser registrado como Microempreendedor Individual (MEI), é necessário contribuir por meio do Documento de Arrecadação Simplificada (DAS), que se refere ao Simples Nacional. O Simples Nacional é um sistema unificado de tributos federais, estaduais e municipais. Assim, em uma guia são agrupados todos os impostos (IRPJ, CSLL, COFINS, PIS/Pasep, CPP, ISS).

4. ISS

O Imposto sobre Serviço (ISS) trata-se de uma tributação de competência dos municípios e Distrito Federal e incide sobre a prestação de serviço. É dirigido a profissionais autônomos e empresas prestadoras de serviço, sendo comum, portanto, a e-commerces que negociam esse tipo de operação.

5. CSLL

A Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) é um imposto federal que incide sobre as pessoas jurídicas em solo brasileiro. Visa dar suporte financeiro à seguridade social, logo diz respeito a investimentos em seguro-desemprego, aposentadoria, saúde etc. Todas as empresas (pessoas jurídicas) domiciliadas no Brasil pagam a CSLL.

6. IPI

O Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) tem o objetivo de arrecadar recursos para o Tesouro Nacional e pode ter uma função estratégica de movimentar e economia local mantendo uma regra entre produtos industrializados nacionais e importados. Esse imposto está diretamente associado à venda.

O segredo para lidar com todos esses impostos é ter um bom planejamento tributário, de modo a optar pelo regime mais adequado às suas atividades. Para isso é vital ter noções sobre receita bruta e despesas operacionais.

Neste post você viu uma série de impostos para e-commerce que empreendedores devem pagar. Gostou do conteúdo? Não deixe de ler também este outro texto sobre empreendedorismo: Como montar uma loja virtual de camisa social.