Com o aumento do mercado do comércio eletrônico, muitos começaram a se perguntar como começar a vender pela internet. Seja para a expansão de um empreendimento ou para iniciar um novo negócio, é necessário que sejam consideradas todas as questões que envolvem esse tipo de meio de venda. 

Pensando em facilitar suas tomadas de decisões, criamos um guia que irá ajudá-los a entender todos os aspectos que envolvem a criação de um negócio de vendas pela internet. Leia até o final!     

Quais são os principais canais de venda pela internet?

Muitas pessoas possuem a vontade de abrir um empreendimento e a internet tornou-se uma forma promissora de fazer negócios. Mas como começar a vender pela internet segue sendo uma pergunta muito frequente para os empreendedores iniciantes.

Para aqueles que estão começando, fazer com que o público-alvo encontre seus produtos pode ser um desafio. Para isso, é preciso utilizar os canais de vendas online mais apropriados. 

Saber distinguir, entre as diversas opções, a que melhor se encaixa na realidade de seu negócio, é de grande importância. O sucesso de seu empreendimento e de suas vendas dependerá diretamente da escolha do canal mais adequado. 

Listamos aqui os principais canais para ajudá-los a compreender melhor cada uma das opções disponíveis. 

Loja virtual

Um dos principais meios de vender pela internet são as lojas virtuais, um site gerado exclusivamente para comercializar produtos e serviços de determinada marca. 

A loja virtual proporciona um ambiente online seguro e uma maior facilidade para o consumidor, pois ele consegue escolher os produtos que lhe interessa e comprá-los de forma prática. Além disso, um site exclusivo permite construir não apenas um e-commerce, mas uma marca com identidade.    

Redes Sociais

As redes sociais possibilitam integrar lojas online a outros canais. Proporcionando muito além da simples publicidade de determinado produto, o Facebook e o Instagram possuem recursos que facilitam a compra direta de itens, quando o consumidor é direcionado para a página de checkout do produto, após clicar nos links disponibilizados nas imagens do produto.

As redes sociais fazem parte do cotidiano dos consumidores, tornando-se um canal de venda promissor por sua maneira direta e rápida de interação, e conversão de vendas.

Marketplace

O marketplace corresponde a um grande shopping online, que agrega produtos de diversas marcas e tem o papel de intermediário entre consumidor e e-commerce. 

Muitas plataformas disponibilizam a interação entre loja virtual e marketplace, para que as marcas continuem utilizando deste para divulgar seus produtos, já que se tratam de grandes canais de venda. 

O objetivo do marketplace é expor o produtos, realizando a intermediação entre o lojista e o consumidor, seja através do redirecionamento para a loja virtual, ou com a finalização da compra dentro da própria plataforma.       

Programa de afiliado

O programa de afiliados realiza o trabalho de divulgação da loja virtual, sendo composto por pessoas que divulgam links de vendas de diferentes produtos de uma loja virtual, aumentando o alcance e as vendas de determinada marca.  

A partir das vendas efetuadas através do link deste afiliado é gerada uma comissão ao vendedor responsável. Para o e-commerce, essa forma de venda pode ser vantajosa, tendo em vista a influência que o afiliado possui e as vendas realizadas através dele.  

Google Shopping

O Google Shopping funciona como um tipo de vitrine de produtos que ficam expostos no Google Ads, e é uma estratégia que atrai a atenção dos usuários no momento em que este realiza uma pesquisa sobre determinado produto. 

Para criar um anúncio no Google Shopping, é preciso ter um e-commerce e enviar as informações dos produtos para o Google por meio do Google Merchant Center. 

Há pouco tempo, o Google Shopping converteu-se em um marketplace e baseia-se nas recomendações individualizadas, segundo as buscas dos usuários na web. Esta opção está disponível apenas nos Estados Unidos. 

Quais são os principais medos de iniciar as vendas pela internet?

Criar uma loja virtual exige menos investimento financeiro do que criar uma loja física. Mas, ainda assim, precisa de planejamento para que dê certo e tenha resultado. Muita gente tem medo de se lançar no comércio digital, e isso é compreensível.

Em primeiro lugar, é bom lembrar que sentir medo é saudável. O medo é responsável por fazer com que o empreendedor aprofunde o conhecimento sobre o produto e o mercado, tome decisões com cuidado e trace estratégias realistas.

O problema é quando o medo paralisa e faz com que cada etapa da criação da loja virtual seja sofrida. Veja aqui quais são os principais medos de quem inicia um e-commerce e saiba como contorná-los.

Medo de não recuperar o dinheiro investido

Esse é um ponto importante para todos os empreendedores, sejam de lojas virtuais ou físicas. Para aumentar as possibilidades de recuperar o dinheiro investido e reduzir o risco de o negócio não dar certo, as pessoas que iniciam um e-commerce têm que fazer um planejamento financeiro.

Isso significa que devem mapear todos os custos que terão no projeto e conceber um prazo para o retorno desse dinheiro. Tão importante quanto planejar o dinheiro no início do negócio, é manter os custos controlados ao longo do tempo. 

Medo de não ter clientes

De fato, um comércio virtual começa sem uma base de clientes. Isso terá que ser construído ao longo do tempo. Existem algumas estratégias de anúncios que podem acelerar o processo de divulgação do e-commerce.

É bom saber que, além de atrair os clientes para o seu e-commerce, você deve cativá-los e mantê-los fiéis. Os anúncios podem ajudar nessa primeira prospecção, mas o atendimento e a qualidade do produto são fundamentais para fazer com que os clientes retornem à loja. 

Medo de crescer e não dar conta

Esse é um medo bom, né? Apesar de parecer estranho, muita gente tem medo de que seu e-commerce cresça e saia do controle. Conforme o negócio for aumentando de proporção, será necessário estabelecer novos fluxos e delegar mais tarefas.

No entanto, é muito difícil que isso aconteça de um dia para o outro. Se o empreendedor faz o controle dos custos e das vendas mensais, haverá tempo para que ele perceba que o negócio está crescendo e consiga se adaptar ao novo cenário.

Medo de o lucro variar muito de um mês para outro

Vender online é trabalhar com a incerteza. A renda mensal de um comércio eletrônico terá variação de um mês para outro. Para evitar que essa variação seja muito grande e que em alguns meses o lucro seja realmente baixo, o empreendedor pode aproveitar algumas oportunidades durante o ano para otimizar as vendas.

Datas como Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais e Natal podem ser boas oportunidades para lançar campanhas e fazer bons negócios. Além disso, uma estratégia efetiva de divulgação da loja virtual pode ajudar a atrair clientes mesmo nos meses em que as vendas são mais tímidas.

Quais são os melhores produtos para vender na internet?

Decidir abrir uma loja virtual, para muitos, significa ter independência. Mas tomar essa decisão traz alguns desafios para novos empreendedores. Uma das principais dúvidas para quem está começando é acerca de que tipo de produto vender online e quais são as melhores opções.

Fazer uma escolha consciente é de grande importância porque essa escolha terá influência direta em outras etapas essenciais, como quanto investir inicialmente, qual o perfil de público-alvo, as estratégias de marketing, entre outras.       

Foi pensando em oferecer um panorama das melhores opções, que listamos os produtos mais vendidos e com maiores rendimentos para vender na internet. Veja:  

Moda e Acessórios

O setor de moda e acessórios, sem dúvida, é um dos principais nichos de loja virtual. Por possuir grande variedade de produtos, pode ser uma boa escolha para quem quer começar um negócio. 

Mas deve-se ficar atento, pois não é recomendado vender uma variedade de mercadorias neste primeiro momento, é preciso ter foco e escolher uma categoria. 

Isso possibilitará segmentar sua loja virtual e delinear o público-alvo a ser alcançado, sendo essencial para a criação de campanhas estratégicas de comunicação com o consumidor. 

Casa e Decoração

A atenção com a casa e decoração sempre foi uma preocupação para boa parte dos consumidores, à medida que a pandemia se agravou e as pessoas passaram a ficar mais tempo em casa, surgiu a vontade de criar um ambiente mais aconchegante.  

Essa necessidade tem aumentado as vendas do setor. Produtos como quadros, luminárias, tapetes, móveis e, principalmente, artigos para escritório, têm boa saída. Ainda mais levando em consideração que muitas pessoas estão trabalhando em home-office. 

Isso mostra como este setor possui diversas opções de produtos para serem vendidos pela internet. 

Cosméticos e Perfumaria

O nicho de cosmético e perfumaria, tinha como principal público alvo o setor feminino. Mas à medida que as questões de beleza e cuidado pessoal têm mudado, o setor masculino também cresceu, e a venda de cosméticos e perfumaria tornaram-se promissoras. 

Uma prova disso é o crescimento de influencers de beleza nas redes sociais, bem como empresas desse setor utilizando essas ferramentas para divulgar seus produtos. 

Com bons planejamentos e estratégias, a venda deste tipo de mercadoria possibilita grande lucro para um novo empreendimento.      

Alimentos

Muitos imaginam que a venda de alimentos pela internet, limita-se à venda através de aplicativos de delivery, como o Ifood. Mas essa ferramenta está mais voltada para restaurantes e o consumo imediato do produto. 

A venda de alimentos não se limita a esse tipo de comércio, existe uma variedade de opções como alimentos congelados, bolos, pão artesanal, salgados, hortifrutis orgânicos, entre outros.   

Criar uma loja virtual possibilita melhor segmentação do público-alvo e das estratégias de captação de clientes, além de maior controle do lojista sobre sua operação.  

Petshop

O amor e cuidado com os animais de estimação está presente no cotidiano das pessoas, o que mostra a grande lucratividade desse setor. 

Criar uma loja virtual especializada em determinados animais de estimação, tem demonstrado ser mais vantajoso para a estruturação de uma marca com mais identidade. 

Além de itens típicos, investir em itens personalizados pode ser uma grande estratégia para enfrentar a concorrência. 

Festas e Eventos

O mercado de festas e eventos tem um grande potencial. Mesmo com a pandemia, uma opção neste tempo atípico é a possibilidade de criação de kits de festa onde o próprio cliente monta seu evento. 

Oferecendo um preço justo, somado a um serviço de qualidade, as chances de sucesso são grandes. 

Ter um portfólio também é de grande importância para esse tipo de segmento, portanto, é essencial ter fotos de eventos realizados, para atrair a atenção dos consumidores. 

Automotivo

A escolha por uma loja virtual do mercado automotivo, certamente, atinge um público mais específico. Essa pode ser uma grande chance de um negócio lucrativo, visto que há um grupo grande de apreciadores e donos de carros.     

Para ter um empreendimento diferenciado dos demais, é fundamental realizar uma pesquisa a respeito dos itens mais buscados e desejados pelos consumidores. 

Eletrônicos e importados

A venda de produtos eletrônicos e importados é bem promissora, sendo um segmento que também cresceu nos últimos anos. Mas este é um nicho que necessita de mais cuidado que outros, visto que a venda de produtos importados precisa de mais atenção.

Outro ponto a ser pesquisado, diz respeito ao público-alvo que quer alcançar, além do estudo da concorrência, para criar um negócio que tenha um diferencial em relação a outros empreendimentos.       

Brindes

O setor de brindes é conhecido como uma extensão do setor de festas e eventos, mas que, por conta própria, possui um mercado muito promissor.

Muitas empresas usam as entregas de brindes como uma estratégia de divulgação de sua marca e serviços, o que significa uma grande demanda para este nicho de empreendimento. 

Tecidos

O setor de tecidos tem o benefício de prestar serviços não só para os consumidores pessoa física, mas para empresas que estejam no ramo de confecções.

Por se tratarem de insumos para a fabricação de diversos outros produtos, o nicho de tecidos possui uma excelente demanda de mercado. 

Descartáveis Hospitalares

Embora esses produtos sejam fundamentalmente relacionados ao setor hospitalar, a possibilidade de negócios não se limita apenas a este nicho. Uma parte dos acessórios descartáveis como máscaras e luvas descartáveis, seringas e aventais, são usados por outros ramos de atuação, como o ramo da estética e estúdios de tatuagens. 

Esporte e Lazer

O cuidado com a saúde e prática de esportes tem se tornado algo do cotidiano das pessoas, com o distanciamento social ocasionado pela pandemia do novo Coronavírus. Com isso, houve o aumento na procura por acessórios utilizados para exercícios em casa, como itens para yoga (tapetes e colchonete), pesos, faixas, elásticos, entre outros.   

Telefonia e Celulares

O setor de telefonia e celulares tem crescido nos últimos anos, tornando-se um investimento muito lucrativo, pois traz a possibilidade de venda de smartphones e acessórios, como fones de ouvido, carregadores, acessórios de iluminação, capinhas personalizadas entre outros. 

No que diz respeito a venda de capinhas personalizadas, essa opção é muito rentável, pois as pessoas estão sempre em busca de algo novo e diferenciado.         

Livros

O setor de livros tem apresentado um aumento significativo no último ano, por serem artigos essenciais em diferentes ramos. Sendo assim, tornam-se itens lucrativos para serem comercializados. 

O setor possui um amplo nicho, que abrange livros didáticos, universitários, usados, infantis, infanto juvenis, entre outros.  

Instrumentos Musicais

O setor de instrumentos musicais pode ser desafiador para quem pretende investir neste ramo, por se tratar de um empreendimento muito específico. Isto é, seu volume de vendas é menor quando comparado a outros setores de lojas virtuais.

Mas um fator positivo está no fato de seus produtos possuírem um valor alto e um público fiel. Com o uso das estratégias certas, esse pode se tornar um empreendimento muito lucrativo.     

Material de Construção

Este setor se caracteriza pela venda de insumos para a construção civil e reformas domésticas, como por exemplo tijolos, cimento, pisos, tintas, papéis de parede personalizados, entre outros.

Uma análise de mercado detalhada é de grande importância para esse tipo de empreendimento e traçar um diferencial frente a concorrência é algo essencial.    

Como começar a vender pela internet?

1. Faça um estudo de mercado

O estudo de mercado diz respeito à pesquisa de informações acerca dos nichos e o público-alvo do negócio que pretende começar. 

Esse estudo deve ser realizado com a utilização de métodos estatísticos e, tendo em mãos os dados obtidos, fica possível traçar estratégias mais assertivas e que produzirão os melhores resultados.

Os estudos de mercado podem ser categorizados em dois tipos essenciais: o primeiro diz respeito às pesquisas de oportunidade, que requer um estudo de venda, produto e mercado; o segundo trata-se de um estudo a respeito do empenho de vendas, e exige uma pesquisa acerca da organização de vendas, campanhas e propagandas, e as vias de distribuição.          

2. Concentre-se no que você tem de melhor a oferecer

Descubra qual a missão do seu empreendimento e foque naquilo que você pode oferecer de melhor. Inicie sua empresa observando suas habilidades e faça disso um diferencial.

Desse modo, ficará mais fácil obter sucesso sem que você tenha que se sacrificar demais. Faça com que sua marca tenha as melhores opções para as pessoas e saia na frente da concorrência sem complicações.

3. Selecione o melhor canal de venda para o seu nicho

Escolher o canal de venda mais adequado para o seu nicho é de grande importância, sendo imprescindível para que as pessoas certas encontrem sua loja.

Não adiantará nada vender produtos qualificados e lucrativos, se eles não chegarem até o público-alvo. Por isso é importante escolher o canal que melhor se adequa à realidade de seu empreendimento e ao público a ser atingido.  

4. Foque no que faz seu negócio decolar

Se você pensa no seu negócio somente como um website, certamente não chegará muito longe. A loja virtual, na realidade, deve ser uma das últimas etapas do seu plano de negócio.

Inicialmente, invista tempo e dinheiro para fazer tudo que faria com um empreendimento físico, como o estudo do nicho de mercado e a escolha de um espaço para armazenar as mercadorias. Por fim, concentre-se na criação e/ou contratação de uma plataforma virtual para iniciar as vendas.

5. Escolha a plataforma para criar a sua loja virtual

A escolha de uma plataforma precisa ser baseada em um estudo aprofundado que leve em consideração não apenas o preço da plataforma, mas também as ferramentas oferecidas e o suporte dado por este fornecedor, em caso da ocorrência de problemas. 

Escolher por aquelas que possuem funções mais completas e um suporte mais seguro, gerará uma gestão de trabalho mais otimizada.

6. Encontre bons fornecedores

Encontrar parceiros de qualidade e de confiança é um dos pontos chaves para aqueles que estão em busca de como começar a vender na internet. Um bom fornecedor deve oferecer mais do que apenas uma grande variedade de produtos, ele precisa garantir os prazos de entrega e que não haja defeitos nos produtos.

Caso surja algum tipo de problema, é necessário também ter um bom suporte de atendimento e política de troca clara e eficaz. 

Uma dica é pesquisar a reputação dos fornecedores e a opinião de outros clientes, para uma tomada de decisão consciente.       

7. Monte um bom sistema logístico

Montar um sistema logístico que seja eficaz é imprescindível para uma loja virtual, pois este pode se tornar um dos maiores diferenciais em relação à concorrência. Garantir fretes mais baratos e prazos mais rápidos são métodos de atrair a atenção dos consumidores. 

Isso possibilitará que as entregas e os prazos sejam garantidos aos consumidores. Montar um sistema logístico eficaz corresponde às ações certas para as situações relacionadas à entrega de produtos.            

8. Tenha um bom capital inicial e capital de giro

Para aqueles que estão questionando como vender pela internet, o capital inicial e o capital de giro pode ser uma das grandes dúvidas ao iniciar um empreendimento

É necessário haver um capital inicial para o começo das atividades, principalmente neste primeiro momento, onde as demandas podem ser maiores.    

O capital de giro é o investimento que sustenta um negócio, ou seja, todos os recursos gastos para manter a loja virtual em atividade.

É importante definir todos os valores necessários para estes investimentos, e sempre ter um valor reservado para situações que podem ocorrer de forma imprevista.  

9. Invista no atendimento

Ofereça o maior número possível de opções de atendimento, mas com canais que realmente funcionem. Não adianta estar presente em todas as mídias sociais, se, quando um cliente solicita contato por meio delas, não obtém resposta.

Portanto, responda comentários, e-mails e sempre agradeça pelo contato e pelas compras. Mostre-se receptivo para escutar as críticas e sugestões daqueles que são a razão da existência do seu empreendimento.

Para isso, nada melhor do que conhecer o seu cliente para agradá-lo. Hoje, muito se discute sobre produtividade, e ela é de fato fundamental. Em razão disso, invista na automatização de processos que possam ajudá-lo a atingir as metas de crescimento.

Lembre-se de facilitar a experiência do seu público. Na loja virtual, ofereça informações sobre os produtos com clareza e objetividade. Disponibilize uma interface amigável e de simples navegação para que os consumidores encontrem o que estão procurando com facilidade. Invista também em um site responsivo para facilitar o acesso de pessoas que utilizam dispositivos móveis.

10. Não se esqueça da parte burocrática

Muitas pessoas cometem o erro de acreditar que, pela facilidade e simplicidade para criar um empreendimento online, as questões burocráticas podem ser negligenciadas e deixadas em segundo plano. Este é um erro muito perigoso. 

Para começar a vender produtos, é preciso que sejam verificadas as licenças necessárias para o funcionamento do negócio. Isso garante que o empreendimento venha a cumprir todos os requisitos para a atuação neste setor.       

11. Divulgue seu negócio de vendas pela internet

Depois de cumprir todas as etapas acima, pense em meios de divulgação eficientes, como e-mail marketing, banners em sites de conteúdo, SEO, Google Adwords e parcerias com e-commerces de outros segmentos.

Assim, você aumentará as chances de trazer público engajado para a sua marca. Com isso, a probabilidade de eles fecharem negócio com sua loja virtual se eleva consideravelmente.

12. Insista em consultoria para vendas online

Um passo importante para as pessoas que desejam saber sobre como começar a vender pela internet, é investir em consultorias de vendas online

Investir no auxílio de uma consultoria especializada, será um ponto chave para condução de seu empreendimento de maneira mais estruturada e bem sucedida, principalmente nas fases iniciais. A ajuda deste tipo de especialista possibilita um planejamento inicial, e uma projeção dos resultados de médio e longo prazo mais assertivos. 

Um planejamento adequado nunca deve ser subestimado. Ter estratégias bem definidas e escolher o nicho e produtos mais adequados, são os pontos chaves para um negócio de sucesso.   

Se as recomendações mencionadas neste artigo forem implantadas logo no início do seu e-commerce, você certamente obterá sucesso. Portanto, não perca tempo e coloque-as em prática agora mesmo para conquistar um lugar de destaque no mercado o quanto antes! 

E então, gostou deste conteúdo sobre vendas pela internet?  Veja outros conteúdos aqui.