Você está pensando em começar a vender produtos ou serviços pela internet? Ou então, já vende e está buscando formas de expandir os resultados de seus negócios? Pois saiba que para isso, você precisará escolher uma plataforma de vendas online para abrigar seu e-commerce. 

O setor de e-commerce é um dos mais crescentes atualmente no Brasil e no mundo. Cada vez mais os consumidores têm percebido as vantagens e a segurança de comprar produtos pela internet e recebê-los em casa, com conforto e praticidade. O mesmo vale em relação aos serviços. Hoje em dia é cada vez mais comum a pesquisa e contratação de serviços através da internet. 

Por isso, neste artigo vamos abordar justamente como funcionam as plataformas de e-commerce, quais são os tipos de plataforma disponíveis atualmente e, também, como saber qual delas é a melhor para seus negócios. Siga conosco até o final! 

O que é plataforma de vendas online?

Por plataforma de vendas online, podemos entender qualquer tipo de plataforma que ofereça a possibilidade de ser realizado o comércio de produtos e serviços via internet. Ou seja, são todos os tipos de websites ou redes que possibilitem ao vendedor divulgar e ofertar seus produtos, ao mesmo tempo em que também possibilita o acesso dos consumidores a essas ofertas, fazendo uma ponte de comunicação entre ambas as partes. 

Ao decidir trabalhar com vendas pela internet, é muito importante que o vendedor escolha bem quais serão as plataformas nas quais seus produtos serão ofertados e quais serão as estratégias utilizadas para isso, no sentido de conseguir bons resultados. Cada tipo de plataforma tem características, perfis e públicos diferentes, o que exige do vendedor bastante capacidade administrativa e operacional. 

Para conseguir perceber melhor essa dinâmica, basta que nos coloquemos na posição de usuários da internet e consigamos perceber como o e-commerce nos atinge diariamente: as abordagens e ofertas nos são apresentadas sempre de acordo com o ambiente digital em que estamos navegando. 

Desta forma, ao iniciar seu próprio e-commerce, deve-se pensar em quais plataformas existem mais chances de seu público estar, para que suas ofertas possam atingi-los e você efetue as vendas. 

Além disso, é importante saber que seu e-commerce não precisa estar em apenas uma plataforma, você pode atuar em mais de uma frente. Por exemplo, ter um site de vendas próprio não o impede de vender no Mercado Livre e em suas redes sociais. Um complementa o outro.   

Quais são os tipos de plataforma de vendas online?

Conforme mencionamos, seu e-commerce pode atuar em mais de uma plataforma de vendas online. Porém, é necessário primeiro que você conheça os modelos disponíveis atualmente para poder entender melhor como cada um funciona e como podem ser úteis para seu modelo de negócios. 

Loja Virtual

A loja virtual é um dos tipos de plataforma de e-commerce mais utilizadas pelos empreendedores que vendem online. Trata-se de um site exclusivo para a sua marca, em geral (é aconselhável que seja!), com domínio próprio, onde seus produtos são categorizados e vendidos. 

Neste tipo de plataforma, todo o processo de venda ocorre dentro do mesmo site. Desde a escolha dos produtos, adição ao carrinho, pagamento e escolha da forma de entrega, todo o processo se dá dentro da própria loja virtual. 

Em casos onde o sistema de pagamento é feito através de outro site, o cliente é redirecionado diretamente da loja virtual para o site do parceiro, sem a necessidade de realizar um outro acesso em ambiente diferente.

No entanto, para a criação de um site de loja virtual, existem alguns tipos diferentes de plataformas especializadas, que veremos a seguir. 

Plataforma proprietária

Uma plataforma proprietária é um ambiente virtual desenvolvido para a criação de um site. Nas plataformas proprietárias, a marca adquire a licença de uso de um código fonte desenvolvido por terceiros e, a partir daí, cria e customiza esse site de acordo com as necessidades de seu e-commerce. O código fonte, no entanto, não pode ser modificado. 

Este modelo é altamente personalizável e, por este motivo, para estes casos é necessário que o lojista possua algum conhecimento técnico em programação e layout de sites para poder desenvolver a loja virtual. Ou então, caso não tenha disponibilidade para essa tarefa, será preciso investir na contratação de uma equipe profissional, tanto para auxiliá-lo na criação, quanto na manutenção da plataforma. 

A vantagem desse modelo, sem dúvidas, é a alta possibilidade de customização do site de acordo com as preferências e especificidades da marca. No entanto, dada a necessidade de dedicação técnica exclusiva, pode não ser uma boa opção para e-commerces em início de operação ou que tenham porte menor, por conta do custo extra com uma equipe de TI. 

Plataforma open source

As plataformas open source têm o código fonte aberto para alteração, que é disponibilizado para download gratuito gratuito na internet. Por este motivo, são conhecidas também como “lojas virtuais gratuitas”. 

Neste modelo o lojista tem acesso apenas ao código fonte de programação, tendo, a partir daí, que configurar todo o site de acordo com as suas necessidades. E aqui, vale uma atenção especial no que diz respeito à segurança de dados e informações, tanto da loja, quanto dos clientes. 

Nas plataformas open source, os códigos estão abertos a domínio público e, por isso, podem estar mais vulneráveis a invasões, de acordo com alguns especialistas da área. Além disso, é necessária também a contratação de um servidor para armazenar os dados da loja virtual. 

Optar por esse modelo de plataforma pode ser bastante vantajoso por conta da alta capacidade de personalização, desde que o lojista também conte com uma boa equipe de desenvolvimento e TI para garantir a qualidade e segurança da loja virtual. 

Plataforma licenciada

As plataformas licenciadas também têm sua licença de uso comercializada por empresas desenvolvedoras do ramo, porém, diferentemente das proprietárias, seu código fonte é aberto para alteração, o que aumenta ainda mais a possibilidade de personalização do site de acordo com as necessidades da marca. 

Neste tipo de plataforma, o lojista recebe, ao adquirir a licença de uso, o código de programação e, a partir dele, desenvolve o seu site exatamente da maneira que deseja. Assim como nos modelos anteriores, é bastante necessária a ajuda de uma equipe de desenvolvimento web e TI para garantir o bom funcionamento e segurança do site, uma vez que as empresas fornecedoras deste tipo de plataforma não oferecem suporte técnico neste sentido. 

Sendo assim, as plataformas licenciadas também podem se configurar em um custo fixo extra para o e-commerce e, portanto, esse fato deve ser ponderado ao optar por este tipo de serviço. 

Plataforma SaaS

As plataformas SaaS são o modelo mais utilizado para a criação de lojas virtuais, principalmente por empresas de pequeno e médio porte, embora também consigam atender muito bem grandes e-commerces. 

Nestas plataformas, o modelo base do site já vem pronto, possibilitando o lojista customizar sua loja de maneira muito mais rápida e simplificada, sem a necessidade de conhecimento prévio em programação. 

No entanto, essa simplicidade e praticidade não significa falta de personalização. Existem atualmente no mercado diversas opções de plataformas SaaS que têm grande capacidade de customização, permitindo ao lojista manter a identidade visual de sua marca.  

Além disso, as empresas que fornecem esse tipo de plataforma também podem oferecer suporte técnico dedicado para resolver quaisquer dúvidas ou questões relacionadas ao sistema, o que facilita muito a rotina do empreendedor. 

Em geral, esses modelos são adquiridos através do pagamento de planos mensais, cujos valores podem variar de acordo com o porte, capacidade e necessidade do e-commerce. 

Sem dúvida, para os empreendedores iniciantes ou para aqueles que desejam mais tranquilidade e conforto na manutenção de seu site, este é um modelo bastante vantajoso. 

Plataforma Low end

As plataformas chamadas Low End são aquelas cujo ambiente virtual é alugado. Ou seja, o lojista paga um valor mensal para ter acesso às funcionalidades oferecidas pela empresa fornecedora, contando com suporte técnico, estabilidade e atualizações constantes. 

Essas plataformas têm implementação simples, que pode ser feita pelo próprio lojista, através das ferramentas oferecidas, sem a necessidade de conhecimento técnico. 

Plataforma High end

As plataformas High End são mais sofisticadas do que o modelo anterior, contando com funções mais elaboradas, o que aumenta o tempo e os custos de desenvolvimento e implementação

Em geral, tratam-se de plataformas desenvolvidas de acordo com as necessidades e especificidades de cada negócio, o que torna esse tipo de plataforma mais utilizada por e-commerces com volume de vendas massivo e de grande porte. 

Marketplace

Os Marketplaces são plataformas bastante populares dentro do mundo das vendas online. Preferidas pelos vendedores iniciantes, elas também ajudam bastante a aumentar o volume de vendas e a divulgação de marcas de médio porte, já estabelecidas. 

Tratam-se de ambientes virtuais onde ficam reunidos diversos vendedores digitais , de diversos nichos e segmentos diferentes, podendo ser comparados a “shoppings virtuais”. 

Neste modelo de plataforma, o lojista não tem a opção de customizar seu ambiente de vendas, devendo obedecer não apenas ao layout, mas também às regras de utilização da marca mantenedora. 

Uma das principais vantagens em começar a vender pelo marketplace, sem dúvida, é a visibilidade. Por serem marcas já conhecidas e com alto volume de acessos, os marketplaces podem ser uma ótima vitrine para seus produtos. Além disso, essas marcas também oferecem facilidades na gestão das vendas, pagamento e entrega, o que pode ajudar bastante os empreendedores menos experientes. 

Uma desvantagem, no entanto, é a grande concorrência que existe nessas plataformas. em um mesmo ambiente estão reunidos vendedores de um mesmo nicho, que também comercializam os mesmos produtos, exigindo maior competitividade e diferencial das marcas. 

Grandes exemplos de e-commerce são o Mercado Livre, OLX e Amazon.

Sites de Afiliados 

Os sites de afiliados são plataformas que atuam em duas frentes: você pode utilizá-las para vender seus próprios produtos, ou então, vender produtos de terceiros e ser comissionado por cada venda efetuada. 

Ao se cadastrar em um programa de afiliados, você não precisa se preocupar em produzir ou comprar produtos para revender, podendo divulgar produtos de terceiros e receber comissões a cada venda. 

Nessas plataformas é possível a comercialização tanto de produtos físicos, quanto infoprodutos, como cursos e e-books, por exemplo. O foco deste modelo de vendas é a divulgação e intermediação entre a marca e os consumidores

Redes Sociais

Se você é um usuário assíduo de internet, já percebeu que também as redes sociais transformaram-se em plataforma de vendas online. Isso porque com a expansão do e-commerce, veio junto o aumento da concorrência no setor e com isso, a necessidade de um modelo mais assertivo e personalizado de divulgação. 

As marcas passaram a utilizar as redes sociais para interagir e estabelecer um relacionamento mais próximo com seu público, o que acabou transformando esses ambientes digitais em oportunidades de negócios. 

Muitas marcas começaram a divulgar e vender seus produtos através das redes sociais, como Instagram e Facebook, por exemplo. 

Vale a pena vender somente pelas redes sociais? 

Antes de falarmos sobre a melhor plataforma para criar loja virtual, vamos responder uma dúvida bem frequente de quem está começando a empreender agora. Será que vale a pena oferecer os produtos somente por redes sociais como Facebook ou Instagram? A resposta é: depende.

Não há dúvidas de que uma loja virtual oferece mais possibilidade de crescimento do que a venda somente pelas redes sociais, mas essa pode ser uma opção viável para um primeiro momento. Ou seja, se você quer começar a vender com um investimento baixo para entender o mercado e o seu público-alvo, criar uma loja em rede social pode ser bom.

No entanto, é necessário investir em um e-commerce, caso deseje expandir seus negócios. Isso porque o comércio eletrônico permite uma gestão mais clara e assertiva da empresa e uma exposição mais completa dos produtos. Além disso, ter um site de vendas exclusivo, passa mais credibilidade aos clientes, que podem conhecer melhor a marca.

Mas vender em rede social não impede de também vender em comércio eletrônico ou até mesmo em marketplace. É possível conciliar essas modalidades de venda, focando nos produtos que têm mais saída em cada canal. 

Quais são as vantagens de usar uma plataforma de loja virtual para vender online? 

Sem dúvidas, vender numa plataforma de comércio eletrônico confere vantagens para a empresa, já que esse é o canal de vendas oficial do mercado digital. Ter um e-commerce significa que a marca conta com um ambiente específico para apresentar os produtos e para concretizar a sua venda.

A seguir, vamos detalhar algumas das vantagens de vender em plataformas de e-commerce. Veja: 

Ter um ambiente de vendas oficial da marca

Transmitir autoridade é muito importante para ter sucesso nas vendas pela internet e, sem dúvidas, um ambiente exclusivo para sua marca demonstra profissionalismo e mais segurança para os futuros clientes.

Apesar de esse fato não impedir que você atenda em outros canais de venda, ter sua própria loja virtual traz mais confiança para os consumidores, pois a partir daí, eles conseguem perceber que se trata de uma empresa comprometida com os dados e segurança das vendas, além de se preocupar com o nome e a marca que está estabelecendo no mercado. 

Personalizar a loja conforme a identidade visual da empresa

Ainda em relação à autoridade e confiabilidade da marca, a identidade visual também traz profissionalismo às suas vendas. Sendo a internet um meio totalmente digital e visual, ter um site exclusivo e com boa aparência pode ser o fator essencial para que um cliente escolha comprar de você ao invés de um concorrente. 

Além disso, quando falamos em marketing digital, a identidade visual é um dos principais fatores de identificação da marca e comunicação com os consumidores. 

Organizar os produtos na forma de vitrine

Uma vez que na internet seu site equivale à sua loja, poder organizar bem seus produtos é uma grande vantagem. Apresentar seus produtos em forma de vitrine, permite ao consumidor conhecer a variedade de sua loja de maneira simplificada e prática, numa mesma página online. 

Existem também boas possibilidades de, ao conseguir visualizar bem seus produtos, esse consumidor vir a se interessar por itens além dos quais ele pesquisou, o que pode impactar positivamente os seus resultados em vendas.  

Colocar descrições completas e assertivas

Em uma loja virtual não existe a presença de um vendedor para tirar as dúvidas do cliente e informar as vantagens de um produto. O usuário percorre todo o caminho sozinho, desde a procura pelo item, até o pagamento. 

Desta forma, é imprescindível que as descrições dos produtos de sua loja virtual sejam as mais completas e assertivas possível. Isso significa colocar todas as informações de que o consumidor precisa, seja para saber sobre o produto, ou seja para que fique interessado em comprá-lo. Lembre-se de que, em sua descrição, devem conter dados suficientes para sanar as principais dúvidas do comprador.  

Personalizar os meios de pagamento e as formas de entrega

Quando você cria um site exclusivo para sua marca, é possível realizar a integração com diversos meios de pagamento e formas de entrega. Isso porque, sites específicos para venda já contam com esse tipo de tecnologia disponível. 

Desta forma, você consegue oferecer para seus clientes as melhores formas de pagamento e entrega praticadas no mercado, sem correr o risco de vir a perder alguma venda por não atender a essas necessidades do consumidor. 

Contar com automatizações para gestão de pagamentos e logística 

Conforme seu volume de vendas for crescendo, haverá maior necessidade de controle e gestão dos pedidos, entregas e atendimento ao cliente. Contar com uma plataforma que facilite esses processos, torna-se então, fundamental para a operação de seu e-commerce. 

Esse tipo de integração com sistemas de gestão, também é uma das vantagens de uma plataforma de e-commerce. Ao contrário de outros canais de venda mais informais, em uma loja virtual existe a possibilidade de gerar relatórios e fazer acompanhamentos que são fundamentais para a operação. 

Controlar o estoque de forma imediata e assertiva

Assim como as questões relacionadas a pagamentos e entregas, o estoque também consegue ser gerido mais facilmente através de um site exclusivo para suas vendas. 

Uma boa gestão de estoque impede que o e-commerce venha a sofrer perdas ou prejuízos financeiros, sabendo quando e quais produtos devem ser repostos ou colocados em promoção, por exemplo. 

Centralizar as vendas num só lugar 

Por fim, em uma boa plataforma de e-commerce, é possível centralizar toda a sua operação em um só ambiente digital. Se isso já é uma vantagem para o empreendedor, assim é também para os clientes, pois eles conseguem visualizar, escolher, pagar e optar pelo frete em uma mesma plataforma. 

Esse processo torna a jornada de compra fluida e evita que, ao precisar acessar diversos sites, o cliente venha a ficar desmotivado em seguir com a compra.

O que uma plataforma de vendas online precisa ter?

Independentemente da escolha, segurança e praticidade são as duas principais características que uma plataforma de loja virtual deve oferecer. Além disso, é importante contar com outras especificidades, listadas logo a seguir.

1. Layout personalizável e responsivo

O layout personalizável é fundamental para criar um comércio eletrônico que demonstre o seu propósito e dialogue com as características do mercado, segmento e público-alvo. Um e-commerce que vende produtos para ciclistas terá cores e configurações completamente diferentes de um que vende roupas infantis, por exemplo. 

Além disso, a personalização do layout permite que a marca tenha sua identidade alinhada com os demais canais, sejam lojas físicas, redes sociais, marketplace, etc. A própria embalagem e o cartão de visita também devem seguir esses padrões, dando unidade à toda comunicação da empresa.

Cada vez mais pessoas têm feito compras utilizando celular, tablet, TV smart e outros dispositivos móveis. E isso requer um layout responsivo. Daí a necessidade de um layout com funções que se adaptem aos diferentes tipos de tela, mantendo a rapidez e a boa experiência do usuário.

2. Integração com outras plataformas

Quando falamos sobre a integração do comércio eletrônico com outras plataformas, nos referimos à possibilidade de contar com serviços que agregam valor à gestão da empresa. Como assim? A integração com o Bling ou com o Tiny, por exemplo, possibilita a automatização da emissão de notas fiscais e a centralização do controle financeiro da loja.

Um processo automatizado reduz drasticamente o risco de erros, pois elimina o fator humano do processo. Da mesma forma, apura os dados com mais agilidade, o que se reflete, inclusive, na percepção do cliente sobre a marca, uma vez que receberá o produto antes do esperado.

A integração com o Google Analytics dá ao gestor a possibilidade de monitorar uma série de dados, como vendas, visitantes, páginas visitadas, tempo de navegação e taxa de rejeição. Com isso, o empreendedor consegue medir os pontos em que precisa melhorar ou modificar na operação.

3. Recursos para facilitar ações de marketing

Nenhuma loja virtual vive sem o marketing, sabia? A estrutura das lojas online é muito diferente da estrutura das lojas físicas, de modo que investir em ações de comunicação e de marketing é fundamental para atrair usuários ao site. As plataformas com recursos neste âmbito têm muito a agregar para o negócio.

A ferramenta de recuperação de carrinho filtra aqueles clientes que começaram a navegar pelo site mas que, por algum motivo, abandonaram a experiência. A newsletter é outro exemplo, permitindo dialogar com aqueles consumidores que já demonstraram interesse na sua empresa. 

Outro recurso comum do marketing é o pop-up de saída, ou seja, aquele alerta que aparece quando você está prestes a sair do comércio eletrônico. O chat online também é um meio eficiente para o e-commerce, pois serve para sanar as dúvidas do consumidor enquanto navega no e-commerce. 

4. Ferramentas e relatórios de venda

Sem dúvidas, uma boa plataforma de e-commerce precisa contar com ferramentas de venda e seus respectivos relatórios. Um exemplo desse tipo de função é a pesquisa de satisfação, que geralmente é feita na forma de um e-mail para os clientes, convidando-os a compartilhar a sua experiência de compra no e-commerce.

Com isso, o empreendedor consegue compreender os pontos fortes e fracos do negócio na visão do cliente e tem a oportunidade de aperfeiçoar esses itens. Outro recurso relevante é o cupom de desconto, que pode ser usado tanto para atrair novos clientes quanto para proporcionar o retorno de consumidores antigos. 

Mas é importante ponderar que esses recursos precisam ser usados com estratégia, sempre!

5. Canais de venda

Muitas pessoas acreditam que uma loja virtual com e-commerce próprio não precisa atuar em outras frentes. No entanto, diversas empresas marcam presença em marketplaces como o Mercado Livre ou em redes sociais como Facebook e Instagram. Não há nada de errado em fazer isso, pelo contrário!

É claro que a participação em mais de um canal exige estratégia e foco por parte do empreendedor, mas contar com uma plataforma que permite esse recurso é um grande diferencial para quem quer simplificar as tarefas do dia a dia. 

Com isso, o empreendedor precisa gerir apenas um estoque, o que é uma vantagem enorme, sobretudo porque facilita o controle de saída de produtos e simplifica o entendimento sobre o momento ideal para acionar o fornecedor. Além disso, também evita que o mesmo produto seja vendido simultaneamente nos dois canais.

6. Cadastro simples de produto

Aqui está outra facilidade das plataformas de e-commerce que agilizam a rotina de quem trabalha no mercado digital. Embora pareça fácil, o cadastro de produtos deve ser feito com muita atenção, atendendo aos requisitos do SEO, como inclusão das palavras-chaves mais procuradas em buscadores, como o Google.

Além disso, vale lembrar que as lojas virtuais não contam com vendedores, por isso esse cadastro deve conter todas as informações relevantes sobre o produto, como medidas, tecidos, orientações de lavagem, etc. Isso serve para que o cliente saiba se aquele é mesmo o produto que está procurando. 

Sabendo de todos esses itens que precisam e merecem ser atendidos, fica claro de entender como o cadastro simples dos produtos pode facilitar a rotina. Ainda mais pensando que no trabalho com vendas online devem ser cadastrados não somente um, mas dezenas ou centenas de itens. 

7. Variedade nas formas de pagamento

Você já deve ter observado que as pessoas têm preferências de pagamento muito distintas. Algumas desejam parcelar no cartão de crédito, enquanto outras sequer se sentem confiantes para preencher os números de seu cartão em um site de e-commerce. Por isso, recomenda-se oferecer o máximo possível de meios de pagamento. 

Sabendo disso, os meios de pagamento disponíveis numa plataforma de e-commerce fazem toda a diferença na sua pesquisa e escolha. Dê atenção a esse ponto. 

Mas não basta apenas disponibilizar meios de pagamentos versáteis. É importante pensar em formas eficientes, que possibilitam condições interessantes para o negócio e para os clientes.

8. Recursos de logística e entrega facilitada

A logística é outro ponto fundamental para quem quer vender online. Se você quer atender o país inteiro, precisará contar com transportadoras ou com o serviço dos Correios. Porém, se quiser vender para a sua região, poderá utilizar entrega por motoboy, bicicleta ou até mesmo retirada no local.

Contar com uma plataforma que dispõe dessas modalidades de entrega não significa que você terá que oferecer todas, mas que poderá escolher conforme a que for mais conveniente para o seu negócio. Inclusive, poderá revê-las de tempos em tempos, ajustando conforme a sua preferência ou a de seus clientes. 

9. Cadastro de produto com otimização de SEO

Se você conhece o mercado digital já deve ter ouvido falar de SEO. A otimização dos sites é fundamental para o melhor ranqueamento do e-commerce em buscadores como o Google, por exemplo. Para isso, usa-se uma série de técnicas que demonstram que a loja virtual é relevante para os usuários.

Uma das formas de colocar o site entre os primeiros resultados do Google é usando palavras-chave na descrição dos produtos. O ideal é conhecer o seu mercado e entender quais são os termos mais usados na hora de fazer a busca. Além disso, recursos como blogs também podem contribuir muito para o ranqueamento. 

10. Boa infraestrutura e suporte

A plataforma deve ser estável em períodos de grande tráfego, evitar instabilidades na conclusão da compra, permitir o carregamento rápido das páginas e ter um back-end eficiente. Tudo isso para assegurar que o seu site esteja online e funcionando 24 horas por dia e 7 dias por semana. Isso também vale para o suporte, que precisa ser ágil e competente.

A plataforma deve proporcionar um ambiente favorável, por isso é importante contar com alguém mais interessado em ser seu parceiro do que só um fornecedor, ou seja, uma empresa com a qual você possa contar sempre que necessário e que vai ter a solução para o seu desenvolvimento.

11. Ferramentas de customização

Lojas virtuais podem estreitar sua relação com o consumidor e aumentar suas conversões se oferecerem uma boa experiência ao usuário. Isso quer dizer que ele precisa encontrar de forma intuitiva o que procura, contar com imagens nítidas, layout condizente com a proposta, fontes legíveis e tudo que facilite a navegação.

Daí a importância da plataforma ser flexível no quesito customização. Cabe aos gestores planejar a arquitetura da loja virtual e fazer os testes de usabilidade.

12. Ferramentas de checkout

São ferramentas que permitem entender, por exemplo, o motivo do cliente não ter finalizado a compra. Se o cliente visualizou itens e colocou no carrinho de compras, em algum momento ele teve interesse em seus produtos. Com os dados, é possível entender onde está a falha e tomar medidas para trazer o cliente de volta.

Essas ferramentas podem ser aliadas a metodologias como o remarketing, que visa atrair o cliente que ficou no meio do funil de vendas.

13. Possibilidade de Integração com outras plataformas

A integração com outras plataformas também é um recurso necessário para os comércios eletrônicos que querem se destacar no mercado digital. Isso permite que o empreendedor conte com serviços como emissão automatizada de notas fiscais e controle de estoque, o que simplifica o seu trabalho e o torna muito mais assertivo.

Esse tipo de ERP funciona de maneira instantânea, ou seja, a cada venda, atualiza os dados, sem precisar de planilhas ou cálculos feitos pelo gestor. Isso ajuda a acelerar os processos e a entender, por exemplo, quando é o momento de entrar em contato com o fornecedor para solicitar a reposição dos produtos. 

14. Ferramentas e relatórios de venda

Os relatórios de venda são grandes aliados dos gestores de e-commerce. A partir deles é possível ver que produtos têm mais saída e entender sobre a sazonalidade da comercialização. Esse conhecimento agrega de muitas formas: em primeiro lugar, consegue-se saber quando é a hora de pedir a reposição do fornecedor.

Além disso, também é possível mensurar as quantidades, evitando que a empresa fique com produtos estocados por muito tempo. Por fim, também permite a criação de promoções e de campanhas baseadas em produtos que mais vendem ou, dependendo do caso, em produtos que os consumidores geralmente não compram. 

Por que escolher a Simplo7? 

A Simplo7 é uma das plataformas de vendas online mais completas do mercado, contando com uma interface simples e objetiva, de fácil utilização. Além de oferecer as funcionalidades essenciais para o funcionamento de um e-commerce, ainda traz diversas vantagens exclusivas. Veja a seguir: 

Suporte Humanizado

Para criar sua loja virtual na Simplo7 não é necessário nenhum conhecimento prévio em programação de sites. Ainda assim, a plataforma oferece suporte técnico exclusivo e humanizado para os empreendedores que tiverem qualquer tipo de dúvida ou problemas durante suas operações. 

O suporte da Simplo7 é totalmente humanizado, ou seja, nada de falar com robôs ou frases automáticas. Aqui você é atendido por uma equipe especializada. 

Poder com Simplicidade

A simplicidade do processo de configuração da loja virtual não impede sua marca de ter um site robusto e com funcionalidades exclusivas para e-commerce, pelo contrário. Na plataforma Simplo7, seu e-commerce tem um site profissional e responsivo, cuja manutenção é simples e totalmente adequada à rotina agitada dos empreendedores digitais. 

Personalização Avançada

Não precisa deixar de lado a identidade visual de sua marca. Na Simplo7 você cria o site de sua empresa mantendo a personalização de seu negócio e a comunicação visual necessária com seus consumidores. 

Você pode deixar sua loja virtual com a cara da sua marca, de maneira rápida e totalmente funcional, além de poder adequar a comunicação visual às suas estratégias de marketing. 

Integrada de Verdade

Integração é um dos pilares de uma boa plataforma de e-commerce, e a Simplo7 oferece essas integrações aos principais sistemas de gestão e análise, como Bling, Google Analytics, Tiny, entre outros. Além de oferecer integração com diversas formas de pagamento e frete, para que você escolha de acordo com as necessidades de seu negócio e seu público-alvo. 

E todas essas vantagens, você pode experimentar por 30 dias grátis e conferir! 

Conforme pudemos ver neste artigo, uma boa plataforma de loja virtual é um grande diferencial para alavancar suas vendas online, diferenciando sua marca no mercado, demonstrando maior segurança e autoridade para seus clientes e, também, possibilitando que você faça uma gestão assertiva e simplificada de seu e-commerce. 

Esperamos ter ajudado a sanar suas dúvidas sobre plataforma de vendas online. Para saber mais a respeito de gestão de e-commerce, recomendamos que leia nosso artigo sobre plano de negócios para loja virtual. Até a próxima!