Você já deve ter ouvido falar sobre as perspectivas de crescimento que o mercado digital apresenta. Sem dúvidas, o setor de vendas online tem números cada vez mais atraentes e que, muitas vezes, vão na contramão do panorama das lojas tradicionais. No entanto, para vender online não basta criar uma loja virtual e esperar que os clientes cheguem.

Esse mercado tem as suas especificidades, a começar pela necessidade de o gestor do e-commerce ter que dominar todas as áreas do negócio. Se você quer entender como organizar uma loja virtual para crescer na internet, esse artigo é para você! Aqui apresentaremos 7 passos simples para consolidar sua marca. Siga em frente!

O que vender em uma loja virtual?

É claro que o mercado digital guarda ótimas chances de crescimento para os empreendedores que querem investir nele. Porém, para criar uma loja online é essencial saber o que vender. Essa é uma escolha que deve ser equilibrada entre dois pontos: o primeiro é o gosto pessoal do empreendedor.

Afinal, ele vai lidar diariamente com o segmento e o produto escolhido, por isso deve ter gosto por aquilo que vende. E aqui entra o outro ponto: também é necessário escolher um produto que ainda tenha espaço no mercado. Ou seja, nada de investir em itens cujos mercados já estão saturados.

Nesse caso, você será engolido pela concorrência. Por isso, o ideal é sempre pensar em pontos de diferenciação, que são aqueles itens que vão tornar a sua marca única. Antes de bater o martelo sobre o produto que vai vender, sugerimos que faça uma pesquisa de mercado e entenda bem o panorama do segmento onde quer atuar.

Qual é a melhor plataforma para criar loja virtual?

A plataforma para o e-commerce é outro ponto que merece muita atenção. Se pesquisar na internet, provavelmente você encontrará alternativas gratuitas e até poderá ficar tentado a criar o seu e-commerce numa delas. No entanto, isso é um grande erro. No mercado digital, a plataforma da loja virtual funciona como ponto de venda e como vendedora.

Sabe o que isso significa? Que quanto mais completa e eficiente for, melhor será o serviço que você prestará aos seus clientes e, além disso, mais fácil será de fazer a gestão do negócio. Nesse sentido, a Simplo 7 oferece um ótimo custo benefício, pois reúne três planos com muitos recursos essenciais para o bom funcionamento da marca. 

Veja aqui algumas funcionalidades da plataforma: 

  • Configuração do layout
  • Integração com automatizações como Bling, Tiny e Google Analytics
  • Recuperação de carrinho
  • Chat online
  • Newsletter 
  • Pop-up de saída
  • Pesquisa de satisfação
  • Cupom de desconto
  • Relatórios
  • Formas de entregas variadas 
  • Múltiplos meios de pagamento

Como organizar uma loja virtual?

Agora que você já sabe a importância de escolher um bom produto e uma boa plataforma, vamos fazer sobre como organizar uma loja virtual? Não tenha dúvidas que a boa gestão do negócio é fundamental para que a empresa cresça e possa se consolidar no mercado digital. 

O setor de vendas online reúne muitas empresas que são comandadas por apenas uma pessoa, o seu gestor. Quanto mais ele dominar todas as etapas da venda, mais insumos terá para determinar as melhores estratégias e para encontrar espaço para crescer. Veja aqui as principais áreas do e-commerce: 

1. Comercial

O setor comercial é responsável por oferecer uma boa experiência de compra para os consumidores da loja virtual. Para isso, deve se certificar que a plataforma do e-commerce cumpre todas as etapas necessárias para que o percurso desses clientes ocorra da melhor maneira possível, o que se reverte, é claro, em resultados.

2. Financeiro

A área financeira deve controlar todas as entradas e saídas da empresa. Ou seja, deve registrar os gastos com produtos, embalagens, plataforma, servidor e, da mesma forma, precisa ter controle de todas as entradas com as vendas dos itens. Além disso, tem que gerir as devoluções, que nas lojas virtuais são válidas para os 7 dias após a compra. 

3. Compras

O setor das compras deve ter contato com os fornecedores, o que nem sempre é uma tarefa simples, uma vez que envolve não apenas a negociação dos produtos que são vendidos no e-commerce, mas também de embalagens, etiquetas e outros insumos necessários para o bom funcionamento da loja.

4. Estoque

A gestão do estoque é muito importante para que as vendas no e-commerce ocorram da melhor maneira possível. Este registro deve conter todos os produtos estocados no almoxarifado, diferenciando-os por cores, tamanhos, etc. Ter um estoque organizado é essencial para acionar os fornecedores na hora certa.

5. Logística

Embora pareça simples, dar conta da logística do e-commerce é uma tarefa e tanto! Nessa parte, é preciso optar entre transportadoras, Correios ou outras formas de entrega e gerenciar o envio ao endereço dos clientes. É importante lembrar que também existe a política reversa, na qual os consumidores podem trocar ou devolver as compras.

6. Venda e Pós-venda

Muitos comércios eletrônicos direcionam todos os seus esforços para a etapa de pré-vendas e de vendas. Porém, o pós-vendas é fundamental para cativar os consumidores, fazendo com que não desistam da empresa mesmo quando têm algum percalço relacionado com a compra para resolver.

7. Marketing

Por fim, mas não menos importante, a comunicação e o marketing são os responsáveis por atrair os clientes à loja virtual. Ou seja, por transformar usuários em consumidores. Uma boa estratégia de marketing tem influência direta nas vendas e, é claro, na fidelização dos clientes. 

Aplicativos para ajudar na organização da loja virtual

Talvez você esteja assustado com a quantidade de tarefas que o gestor de e-commerce deve dar conta. É muita coisa mesmo! No entanto, nem tudo deve ser feito sozinho. Existem ERPs, CRMs e aplicativos que auxiliam nessas tarefas, permitindo que o empreendedor tenha tempo para focar no que realmente precisa do seu olhar. 

A seguir, apresentamos 8 aplicativos que prometem simplificar e facilitar muito a rotina de quem está por trás de uma loja virtual. Confira aqui: 

Agendor

O Agendor é um CRM focado em vendas. Ele apresenta soluções voltadas para o funil de vendas e para o monitoramento das métricas. A partir disso, é possível reconhecer as oportunidades do negócio e criar um e-commerce que realmente encante os usuários.

Bills Reminder

O Bills Reminder é um aplicativo disponível para Android e iOS que tem como função auxiliar os empreendedores digitais a controlar as finanças e a manter as contas sempre em dia. O app permite a criação de lembretes e de notificações conforme as datas de vencimento.

CamCard

O CamCard, por sua vez, centraliza todos os cartões de visita. Com ele, é possível guardar as informações digitais dos fornecedores, transportadoras e clientes, tendo na palma da mão sempre que for necessário. O aplicativo é gratuito e promete simplificar a vida de quem tem muitos contatos.

Mint

Já o Mint é um aplicativo de gerenciamento financeiro. Ele centraliza as contas bancárias, cartões de crédito e investimentos, deixando todos os dados de entrada e de saída de dinheiro reunidos num só lugar. Bom para não perder o controle! O download está disponível para Android e para iOS.

Xe Currency

O Xe Currency é uma ferramenta para envio e recebimento de dinheiro para o exterior. O seu uso é indicado para os comércios eletrônicos que atendem uma área geográfica ampliada, com envios para fora do país.

Google Analytics

O já conhecido Google Analytics é um serviço do Google que apresenta uma série de estatísticas dos sites cadastrados. Nele é possível ver a localização geográfica dos visitantes, a origem da visita, o navegador que usam, o tempo que ficaram no site e assim por diante. Com esses dados, o empreendedor pode conhecer mais seu público, focar em promoções assertivas e as ajustar campanhas.

Dropbox

O Dropbox, por sua vez, é um serviço muito valioso de compartilhamento e de armazenamento de arquivos. Os documentos ficam guardados na nuvem, sem o risco de serem perdidos caso haja uma pane no computador. Ou seja, é um ótimo lugar para guardar todas aquelas informações essenciais sobre os produtos e as finanças da empresa.

Google Drive

Por último, o Google Drive é uma ferramenta de criação e de compartilhamento de documentos. Nele é possível criar materiais coletivos na forma de textos, imagens ou planilhas e compartilhá-los com contatos. Sem dúvidas, esse é um bom lugar para centralizar as planilhas e até mesmo as fotografias dos produtos. Os dados ficam vinculados ao e-mail e são guardados na nuvem, o que aumenta a segurança. 

Não há dúvidas que os aplicativos aqui apresentados têm potencial para ajudar na organização de uma loja virtual. Decidir usá-los não significa que o gestor vai se abster de lidar com as tarefas do dia a dia, mas que contará com um apoio extra, que otimiza o seu tempo e que torna os dados do negócio mais assertivos. Quem não quer isso, né?

Vale lembrar que a maior parte dos e-commerces entra no mercado só com o trabalho do próprio dono. Desta forma, fica impossível administrar as tarefas sem o apoio da tecnologia, não é mesmo? A sorte é que hoje existem recursos de confiança que deixam a rotina muito mais prática e veloz, sem deixar a confiança de lado. 

Agora que você já compreendeu como organizar uma loja virtual, sugerimos que leia sobre a montagem de estoque para e-commerce. Esse é outro ponto que requer atenção e planejamento, pois o produto é a base de um bom negócio e, por isso, deve ser escolhido com muita cautela. E para você que está estreando no mundo virtual, boa sorte e boas vendas!