Cada vez mais, os empreendedores estão focando os seus investimentos no mercado digital. A razão disso é simples: as vendas online apresentam excelentes perspectivas de crescimento mesmo quando a economia do país está em baixa. Sem dúvidas, esse é um setor que requer pouco capital para a entrada, o que é um diferencial interessante.

Para ter noção disso, é só comparar a operação de uma loja física com a de uma loja virtual. Enquanto as lojas tradicionais precisam investir em pontos de venda e contratar vendedores, as lojas virtuais podem trabalhar de casa, contando apenas com uma boa plataforma de e-commerce para as vendas.

Sem dúvidas, a diferença de investimento é crucial, embora a possibilidade de retorno não seja diferente. E para explicar mais sobre o cenário digital, vamos falar sobre as plataforma para criar loja virtual e elucidar como elas podem contribuir para o sucesso do seu negócio. Se esse assunto te interessa, continue lendo! 

Como começar a vender online?

Se você é novo no setor, deve estar se perguntando o que é necessário para começar a vender no mercado digital. Em resumo, para começar a vender online você precisa ter uma ideia de negócio, ou seja, saber que produto ou serviço quer oferecer. Essa decisão deve ser baseada em estudos que verifiquem a necessidade do público.

Tenha em mente que uma loja online pode atender pessoas de todo o país, ou seja, tem um mercado espetacular pela frente, mas também tem que lidar com uma ampla concorrência. Por essa razão, procurar por setores que ainda não estão sendo amplamente atendidos é uma boa maneira de investir num negócio sólido.

Depois de ter definido o produto ou o serviço da sua loja, você terá que ir atrás de fornecedores que trabalhem com esses itens e montar todo o sistema de gestão e de logística. É nessa etapa que fará a estrutura do funcionamento do seu negócio desde o momento em que deve pedir os itens aos fornecedores até a hora de entregá-los aos clientes.

E não podemos deixar de falar da plataforma: ela funciona como a sua vitrine na internet e deve ser o mais completa possível. Isso significa que deve reunir recursos que facilitem a gestão, como os famosos ERPs, além de contar com ferramentas de marketing que auxiliem na comunicação e na fidelização dos clientes. Em síntese, para vender online você precisa:

  • Criar um bom produto ou serviço
  • Conhecer o seu público-alvo
  • Estudar os seus concorrentes
  • Encontrar fornecedores de confiança
  • Optar por uma boa plataforma de e-commerce

O que é preciso para montar uma loja virtual?

Você sabe em que momento deve ir em busca da plataforma para criar loja virtual? Muitos empreendedores deixam essa pesquisa para a última etapa, quando o negócio já está pronto para começar a vender. No entanto, na ânsia de colocarem a marca no mercado, escolhem sem fazer uma pesquisa tão aprofundada quanto o tema merece.

Sim, a plataforma do e-commerce é assunto sério! Embora existam muitas alternativas por aí, é necessário ponderar todas as funções e escolher alguma que contemple as necessidades do empreendedor digital. Mas que necessidades são essas? Ora, no início do negócio, há poucos requisitos que devem ser supridos, porque a marca terá um porte pequeno.

Mas, conforme a empresa aumentar o seu volume de vendas, vai precisar contar com automatizações que facilitam algumas tarefas recorrentes do dia a dia, como, por exemplo, a emissão das notas fiscais e o controle financeiro. Por isso, podemos afirmar que o principal ponto necessário para montar uma loja virtual é encontrar uma boa plataforma.

Mas, além disso, não podemos esquecer que para crescer no mercado digital é fundamental contar com um bom produto ou serviço, que vá de encontro com as necessidades ou desejos dos seus consumidores e que tenha qualidade e preço de acordo com o esperado.

Em resumo, é o conjunto de estratégias que fazem um e-commerce crescer. Um bom produto, vendido numa plataforma eficiente, com preço adequado e capacidade de logística eficiente tem tudo para dar certo! Um comércio eletrônico funciona como uma sinfonia: tudo deve estar alinhado para que ele possa progredir. 

Quais recursos são necessários em uma plataforma para criar loja virtual?

Agora que você já entendeu a importância de buscar uma boa plataforma para criar loja virtual, precisamos falar sobre as funções necessárias para o seu negócio. Em um primeiro momento, você pode achar que uma loja básica cumpre o mesmo papel de uma loja repleta de recursos. De fato, para um e-commerce iniciante, podemos dizer que sim.

As lojas novas começam pequenas e, nesses casos, o gestor do e-commerce dá conta de todas as tarefas. Ou seja, ele cuida do contato com os fornecedores, da logística, da confirmação dos pagamentos, da inclusão de novos produtos, da comunicação e assim por diante.

Mas vamos concordar que numa loja virtual de porte médio, dar conta de todas essas tarefas fica insustentável, não é mesmo? Isso vai exigir a contratação de mais funcionários, o que não é uma alternativa viável para muitos empreendedores. E aí é que entram as funções da plataforma de e-commerce! 

As melhores plataformas dispõem de recursos que atuam como funcionários da loja, ou seja, são o verdadeiro braço direito do empreendedor. Por essa razão, recomendamos que desde o início você escolha uma plataforma completa, que disponha desses atributos e que possa agregar valor ao serviço que você oferece.

A seguir, veja alguns recursos que fazem a diferença para o seu negócio:

1. Personalização de Layout

Você concorda que um comércio eletrônico de capas para almofadas deve ter uma identidade visual completamente diferente de um comércio eletrônico de vinhos, não é mesmo? A começar pelas cores, que devem seguir tonalidades distintas, para dar a ideia do produto e segmento que a marca se encontra.

Por isso, personalizar o layout é uma função necessária para tornar o seu negócio único. Vale lembrar que o e-commerce deve ter a mesma identidade dos outros canais da marca. Ou seja, se a empresa também trabalha com loja física, o comércio eletrônico deve ser uma extensão do conceito, justamente para aproveitar todos os atributos que já construiu na sua trajetória. 

2. Possibilidade de Integração com outras plataformas

A integração com outras plataformas também é um recurso necessário para os comércios eletrônicos que querem se destacar no mercado digital. Isso permite que o empreendedor conte com serviços como emissão automatizada de notas fiscais e controle de estoque, o que simplifica o seu trabalho e o torna muito mais assertivo.

Esse tipo de ERP funciona de maneira instantânea, ou seja, a cada venda, atualiza os dados, sem precisar de planilhas ou cálculos feitos pelo gestor. Isso ajuda a acelerar os processos e a entender, por exemplo, quando é o momento de entrar em contato com o fornecedor para solicitar reposição dos produtos. 

3. Recursos para facilitar ações de marketing

Nenhuma loja virtual vive sem o marketing, sabia? A estrutura das lojas online é muito diferente da estrutura das lojas físicas, de modo que investir em ações de comunicação e de marketing é fundamental para atrair usuários ao site. As plataformas com recursos neste âmbito têm muito a agregar para o negócio.

Quer um exemplo? A ferramenta de recuperação de carrinho pode atrair clientes que começaram a navegar pelo site mas que, por algum motivo, abandonaram a experiência. A newsletter é outro exemplo, permitindo dialogar com aqueles consumidores que já demonstraram interesse na sua empresa. Muitas vezes, um cupom de desconto já serve de motivação para novas compras. 

4. Ferramentas e relatórios de venda

Os relatórios de venda são grandes aliados dos gestores de e-commerce. A partir deles é possível ver que produtos têm mais saída e entender sobre a sazonalidade da comercialização. Esse conhecimento agrega de muitas formas: em primeiro lugar, consegue-se saber quando é a hora de pedir a reposição do fornecedor.

Além disso, também é possível mensurar as quantidades, evitando que a empresa fique com produtos estocados por muito tempo. Por fim, também permite a criação de promoções e de campanhas baseadas em produtos que mais vendem ou, dependendo do caso, em produtos que os consumidores geralmente não compram. 

5. Disponibilidade de Canais de venda

Muita gente acredita que uma loja virtual com e-commerce próprio não deve atuar em outras frentes. No entanto, diversas empresas marcam presença em marketplaces como o Mercado Livre ou em redes sociais como Facebook e Instagram. Não há nada de errado em fazer isso, pelo contrário!

O maior cuidado é em relação ao controle de estoque, que preferencialmente deve ser unificado. Desta forma fica mais fácil de gerir as vendas e de entender sobre a saída dos produtos. Inclusive, existem plataformas especializadas na integração do e-commerce com os grandes marketplaces. 

6. Cadastro de produto com otimização de SEO

Se você conhece o mercado digital já deve ter ouvido falar de SEO, não é mesmo? A otimização dos sites é fundamental para o melhor ranqueamento do e-commerce em buscadores como o Google, por exemplo. Para isso, usa-se uma série de técnicas que demonstram que a loja virtual é relevante para os usuários.

Uma das formas de colocar o site entre os primeiros resultados do Google é usando palavras-chave na descrição dos produtos. O ideal é conhecer o seu mercado e entender quais são os termos mais usados na hora de fazer a busca. Além disso, recursos como blogs também podem contribuir muito para o ranqueamento. 

7. Diversidade nas formas de pagamento

Você já deve ter observado que as pessoas têm preferências de pagamento muito distintas. Algumas querem parcelar no cartão de crédito no máximo de vezes sem juros, enquanto outras sequer se sentem confiantes para preencher os números do cartão de crédito no site do e-commerce. Por isso, recomenda-se oferecer o máximo possível de meios de pagamento. 

Desta forma, você não deixará de fazer uma venda porque não oferece boleto bancário, por exemplo. Sabendo disso, os meios de pagamento disponíveis numa plataforma de e-commerce fazem toda a diferença na sua pesquisa e escolha. Dê atenção a esse ponto. 

8. Recursos de logística e entrega facilitada

A logística é outro ponto fundamental para quem quer vender online. Se você quer atender o país inteiro, precisará contar com transportadoras ou com o serviço dos Correios. Porém, se quiser vender para a sua região, poderá contar com entrega por motoboy, bicicleta ou até mesmo retirada no local. Bacana, né?

Contar com uma plataforma que dispõe dessas modalidades de entrega não significa que você terá que oferecer todas, mas que poderá escolher conforme a que for mais conveniente para o seu negócio. Inclusive, poderá revê-las de tempos em tempos, ajustando conforme a sua preferência ou a de seus clientes. 

Qual é a melhor plataforma para criar loja virtual?

Sem dúvidas, a escolha da plataforma para criar loja virtual requer pesquisa e planejamento, afinal, é neste ambiente que você vai receber os clientes, apresentar seus produtos e concretizar as vendas. Nesse sentido, a Simplo 7 se apresenta como uma excelente solução para quem quer criar seu e-commerce com solidez.

A plataforma tem estrutura para abrigar comércios eletrônicos de todos os portes, com os mais variados volumes de venda. O empreendedor pode fazer upgrade quando entender que é necessário divulgar mais produtos mas, desde o início, já conta com os recursos completos, independente da quantidade de produtos ou de transações.

Além disso, a Simplo 7 tem todos os recursos essenciais para a criação da loja virtual. A plataforma possui integração com ERPs confiáveis, conta com ferramentas para pesquisa de satisfação, e-mail marketing e cupom de desconto e permite o cadastro de muitas formas de pagamento e de entrega.

E o melhor: tudo isso é feito de maneira intuitiva, com a facilidade que você merece. Agora que já ficou claro a importância de escolher uma boa plataforma de e-commerce, sugerimos que leia esse artigo com as melhores formas de pagamento para vendas online. Conhecê-las é essencial para oferecer aos seus consumidores o serviço que eles precisam e querem. Boa leitura!